icon clock h

Terça-Feira, 23 de Fevereiro de 2021, 08h:13 | - A | + A

BOTELHO

A saída para ALMT é pela autonomia, harmonia, pelo povo e por Mato Grosso

Vinicius Brasilino

Na manhã desta segunda-feira, dia 22 de fevereiro de 2021, o Ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes, acatou ad referendum a liminar impetrada pelo partido Rede Sustentabilidade que suspende o efeito da eleição da mesa diretora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, ou seja, destitui do cargo de presidente do poder legislativo estadual o Deputado Eduardo Botelho (DEM), reconduzido pela terceira vez a presidência da casa. 

 

A decisão do ministro do STF além de tornar sem efeito a posse da gestão 2020/2021 da ALMT, determina que em 48h a Assembleia informe a data da nova eleição da casa, bem com impede que todos os membros da mesa diretora disputem o novo pleito. A decisão ainda vai ao julgamento da corte máxima do judiciário em plenário, com acatamento da medida por parte do ex-presidente Deputado Eduardo Botelho sem recurso, os demais membros ficam sumariamente fora da disputa da mesa diretora da ALMT. Que tinha a seguinte composição: Na Vice-presidência a Deputada Janaina Riva (MDB), na primeira secretaria o Deputado Max Russi (PSB), na 2ª Vice-presidência  o Deputado Wilson Santos (PSDB), na 2ª secretaria o Deputado Valdir Barranco (PT), na 3ª secretaria o Deputado Claudinei  Lopes e na 4ª secretaria o Deputado Paulo Araújo (Progressistas). 

 

Nesse sentido o cenário político de Mato Grosso sofre uma grande reviravolta e se insere em uma instabilidade institucional que é necessária muita capacidade política e pé no chão para a superação deste momento sem grandes traumas para a sociedade mato-grossense. É muito importante que se constitua um campo democrático de transição. Por isso acredito que é a hora da construção de uma unidade entre os parlamentares para resguardar a autonomia e harmonia entres os poderes constitucionalmente instituídos. 

 

A correta decisão de não recorrer da Ação direta da Inconstitucionalidade aponta que cabe aos deputados e a deputada à busca de nomes que unifique a casa de leis mato-grossense com os interesses sociais e do Estado. Nomes que tenham uma boa interlocução tanto com o poder legislativo internamente, com o poder judiciário e com o poder executivo. Mas essencialmente uma grande articulação com o povo de Mato Grosso. Que dialoguem com o setor empresarial, com o agronegócio, que tenha interlocução com os trabalhadores e que defenda nosso meio ambiente. Que vejam o papel da Assembleia Legislativa de Mato Grosso na condução do desenvolvimento econômico, social e sustentável no nosso grandioso estado. 

 

Sem dúvida existem muitos parlamentares com predicados necessários para a mesa diretora, mas destaco a capacidade de articular o parlamento com os demais poderes e com a sociedade de maneira ampla e democrática que possui o Deputado Allan Kardec (PDT). Ao Estado de Mato Grosso, faço votos para que supere esta breve turbulência, mas com um líder a frente que saiba olhar para trás reconhecendo o trabalho dos que passaram na ALMT. Entretanto que tenha a capacidade de apontar os rumos para um futuro de esperança ao nosso povo. Essa é a hora não só da alternância pela alternância de poder, mas de uma mudança da forma que a ALMT olha para Mato Grosso. É hora de uma mesa diretora para Assembleia Legislativa que construa uma transição harmônica, autônoma e democrática.  

 

Vinicius Brasilino é militante do PDT

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS




Informe Publicitário






NEWSLETTER

Cadastre-se e fique por dentro dos últimos acontecimentos e relatos do pnbonline.