Em Destaque Terça-Feira, 13 de Março de 2018, 10h:31 | - A | + A

PECULATO E VIOLAÇÃO DE DEVER

Coronel é convocado para julgar ex-deputado Pery Taborelli por crimes militares

Processo já está na reta final, na fase de alegações, e coronel poderá ser condenado, caso seja considerado culpado, a penas entre 3 15 anos de prisão somente em um dos crimes.

LAICE SOUZA

DA REDAÇÃO

EDMAR MAURICIO BARBANT

Pery Taborelli

 

 

O coronel Pedro Sidney Figueiredo de Souza, que está na reserva, foi convocado pelo governador Pedro Taques para compor o Conselho Especial de Justiça para o julgamento do ex-deputado e também coronel Pery Taborelli. A convocação atende ao pedido do juiz Murilo Moura Mesquista que é o responsável pelo processo contra o ex-deputado, e que tramita na 11ª Vara Criminal.


Taborelli é acusado, desde o ano de 2009, quando do recebimento da denúncia, pelos crimes de peculato e violação do dever funcional com o fim de lucro. Ele seria o proprietário da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip), Casa do Saber, quando era o comandante do Batalhão de Rosário Oeste. Taborelli teria remanejado três policiais para atuarem no local como "voluntários". Inclusive, consta na denúncia do Ministério Público, que um dos policiais teria trabalhado como professor de informática em tempo integral.


Para o MP, Taborelli teria lucrado com o remanejamento dos policiais, pois a  "Polícia Militar passou a fornecer mão de obra gratuita para a instituição, frisando mais uma vez, sob o manto do voluntariado".

O coronel Taborelli já prestou depoimento no caso. Ele foi ouvido no dia 20 de fevereiro.

 

O juiz Murilo Moura Mesquita já abriu o prazo para a apresentação das alegações finais.

 

Caso o coronel aposentado Taborelli seja considerado culpado e seja condenado, ele poderá ter de cumprir uma pena que varia de 3 a 15 anos pelo crime de peculato e de dois a oito anos por violação do dever funcional, conforme consta no Código Penal Militar.

 

Outra condenação

Taborelli já foi condenado, em abril do ano passado, a pena de 2 anos, 4 meses  e 13 dias de prisão, em regime semi-aberto, por abuso de poder contra três adolescentes e populares, quando era comandante, também, em Rosário Oeste. Os fatos teriam acontecido durante o aniversário da cidade.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet