Em Destaque Quinta-Feira, 13 de Setembro de 2018, 08h:40 | - A | + A

DEU NO GAZETA DIGITAL

Estudantes da UFMT denunciam casos de assédio na instituição

Na maioria dos casos, os assédios acontecem quando elas precisavam ir ao banheiro, durante qualquer horário do dia

Ana Flávia Corrêa

DO GAZETA DIGITAL

 

Estudantes da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) denunciam casos de assédio que têm acontecido dentro do campus de Cuiabá. Na página do Instagram denominada "Meu Olhar UFMT", elas compartilharam as histórias que vivenciaram. Na maioria dos casos, os assédios acontecem quando elas precisavam ir ao banheiro, durante qualquer horário do dia.

 

"Uma vez eu estava no banheiro do IL [Instituto de Linguagens] trocando de blusa. Era 6h30 da manhã. Quando olhei de relance no espelho tinha um rapaz sentado no vaso me olhando. Eu até pensei que estava no banheiro masculino. Ele me disse para eu não gritar que seria rápido. Eu fiquei com tanto medo que sai horrorizada e chorando do banheiro", disse uma menina, que preferiu não se identificar.

 

Uma estudante de letras da instituição, aqui identificada como Fernanda*, revelou ao Gazeta Digital ter passado por situação semelhante, no mesmo local. Como ela estuda no período da noite, é comum que fique até mais tarde no campus.

 

"Eu fui para o banheiro que é um pouco isolado dos outros porque nem todo mundo frequenta a noite aquela parte. Quando eu sai vi dois rapazes sentados na porta. Eles começaram a fazer insinuações, me chamando de gostosa e coisas do tipo. Eu olhei pra eles e saí correndo", disse.

 

Já uma estudante de filosofia, Clara*, contou que cerca de quatro homens a abordaram enquanto ela entrava no banheiro do bloco de administração. Eles a esperaram ela sair na porta.

 

"Era umas 20h quando apareceu uma renca de gurizada. Eu estava sozinha, não tinha ninguém. Não adiantava gritar porque ninguém ia ouvir. Eu me tranquei no banheiro e fiquei uns trinta minutos. Eles ficavam gritando 'Cadê ela?' e eu fiquei morrendo de medo, não sei o que aconteceu pra eles não entrarem."

 

A situação se espalha por todo o campus. No bloco da biologia, as meninas dizem que não vão mais ao banheiro sozinhas por medo, já que um rapaz há algum tempo entra e fica esperando por elas. Outros relatos expõe a situação de homens que andam pela universidade.

 

"Eu fui caminhar com uma amiga e os pais. Perto do ginásio olhei para dentro de um carro e vi um cara se masturbando. Não passava de 19h, foi aterrorizante", disse outra estudante, nas redes sociais.

 

Outro lado

A reportagem entrou em contato com a assessoria da universidade, que disse estar apurando os casos e assegurou que irá tomar as medidas necessárias.

 

*A reportagem utilizou nomes fictícios para preservar a identidade das vítimas.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet