Política Terça-Feira, 12 de Fevereiro de 2019, 08h:20 | - A | + A

POR 24 HORAS

Servidores do Estado paralisam atividades em protesto por aprovação de medidas do Governo

A paralisação conta com a participação de servidores ligados a ao menos cinco sindicatos

JULIANA GROU

DA REDAÇÃO

Servidores públicos de Mato Grosso paralisaram as atividades na manhã desta terça-feira (12) em protesto pela aprovação do pacote de medidas já sancionado pelo governador Mauro Mendes (DEM), dentre elas o congelamento do salário dos servidores, o parcelamento do pagamento do 13º salário aos aniversariantes de novembro e dezembro e a suspensão do pagamento da Revisão Geral Anual (RGA). A paralisação é por 24 horas e conta com a participação de servidores ligados a ao menos cinco sindicatos, dentre eles o Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT).

 

As manifestações deverão acontecer em várias cidades de Mato Grosso durante todo o dia. Em Cuiabá, um protesto está marcado para acontecer em frente ao Tribunal Regional do Trabalho  (TRT), no Centro Político Administrativo, às 14h.

 

Além do Sintep, o Sindicato dos Servidores do Meio Ambiente de Mato Grosso (Sintema), Sindicato dos Profissionais da Área Instrumental do Governo (Sinpaig), Sindicato Servidores Públicos do Desenvolvimento Econômico Social (Sindes) e o  Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde de Mato Grosso (Sisma) também param suas atividades.

 

A paralisação foi aprovada em Assembleia Geral realizada no último dia 4 de fevereiro. Os servidores decretaram o Estado de Greve, com Assembleia Permanente e paralisação estadual unificada.

 

De acordo com o presidente do Sintep-MT, Valdeir Pereira o estado de alerta seria um indicativo para o governo reavaliar a postura e buscar uma negociação. “Saímos com uma série de resoluções, entre elas o Estado de Greve, a Assembleia Permanente e uma previsão de Conselho de representante para março, seguido de Assembleia Geral para que possamos fazer as avaliações das mobilizações que ocorreram nesse período e aprovar outros encaminhamentos”, afirmou Valdeir.

 

O presidente do Sintep-MT ainda chamou as mobilizações do interior do Estado. A paralisação deve contar com mais de 600 unidades da rede estadual. “Estamos orientando que outros municípios busquem construir com outras categorias uma mobilização de maneira a alertar a sociedade das retiras dos direitos que nós estamos sofrendo por parte do Governo”, finalizou Valdeir Pereira.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

Copyright 2018 PNB ONLINE - Todos os direitos reservados. Logo Trinix Internet